Connect with us

Tecnologia

Protegido #SQN: Avast está vendendo dados sensíveis de usuários, aponta investigação

Se você é uma pessoa que fica preocupado com a segurança do seu PC e que utiliza antivírus gratuito mas preza por segurança de dados e por sua privacidade, o Avast pode não ser a sua melhor escolha. Entenda!

Publicado

em

Se você é uma pessoa que fica preocupado com a segurança do seu PC e que utiliza antivírus gratuito mas preza por segurança de dados e por sua privacidade, o Avast pode não ser a sua melhor escolha. Ele é um dos softwares antivírus mais populares atualmente e recentemente uma investigação revelou que várias informações — incluindo cliques e hábitos online — estão sendo vendidos para terceiros.

Advertisements

O Avast possui em média 435 milhões de usuários ativos por mês, 100 milhões de dispositivos destes usuários estão com privacidade violada por uma subsidiária da companhia, a Jumpshot, que têm vendido dados dos usuários, incluindo seu comportamento na internet.

De acordo com documentos acessados pelo site Motherboard e PCMag, informações como pesquisas no Google, procuras no Google Maps, coordenadas de GPS e até perfis visitados no LinkedIn estavam sendo monetizadas pela subsidiária do Avast. Os hábitos online dos usuários serviriam para otimizar a apresentação de propagandas e conhecer os interesses dos usuários do antivírus.

 

“Deseja permitir o compartilhamento de dados com parceiros para análise de tendências, negócios ou marketing?” diz uma das opções do app. (Fonte: GizChina/Reprodução)

 

Uma informação importante: Nenhuma das informações vendidas foram identificadas  por usuário, para a despreocupação dos usuários do software; mas a riqueza de detalhes dos dados vendidos pode facilmente relacionar os hábitos à um usuário específico.

Comércio de informações

De acordo com estes documentos, a Jumpshot oferece uma gama de produtos para diferentes tipos de informações. Um exemplo, foi nas palavras-chave procuradas na internet e quais resultados da pesquisa receberam os cliques.

Nas investigações foram reveladas que alguns clientes recebem informações mais detalhadas sobre a origem dos cliques. A Omnicom Media Group, por exemplo, possui acesso irrestrito à todos os cliques coletados pelo software da Avast e podem visualizar também a identificação do dispositivo utilizado pelo usuário.

 

“Se importaria em compartilhar alguns dados conosco?”. (Fonte: PCMag/Reprodução)

 

A Avast foi procurada pela PCMag após o encerramento da investigação, mas se negou a responder qualquer pergunta, o mesmo aconteceu com a Ominicom Media Group. Depois, o Avast declarou que descontinuou qualquer coleta de dados desnecessária para a proteção da integridade do computador.

Não foi a primeira vez que a Avast é flagrada se aproveitando dos dados dos usuários. Em maio de 2019, a extensão da Avast para navegador foi vista coletando mais dados do que o necessário e até teve sua disponibilidade interrompida nas lojas de aplicativos.

Se você se preocupa com a sua privacidade e não quer abrir mão da segurança, é recomendado desinstalar o Avast e procurar um novo antivírus.

Igor Luiz é Fundador e o Content Manager do Gadz Tech. Profissional na área de criação de web sites na internet, marketing digital, também trabalha na publicação de notícias do site.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três − dois =

%d blogueiros gostam disto: