Connect with us

Tecnologia

Inteligência Artificial pode tornar os teclados de celulares invisíveis

Pesquisadores do Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul querem desenvolver uma tecnologia baseada em Inteligência Artificial (IA) que pode tornar os teclados virtuais de smartphones invisíveis aos usuários.

Publicado

em

Um estudo publicado no site Arvix.org, intitulado “I-Keyboard – Teclado Totalmente Imaginário em Dispositivos de Toque Capacitados pelo Decodificador Profundo Neural” , os cientistas propõem um “teclado totalmente imaginário” – o I-Keyboard – que não teria um layout, forma ou tamanho pré-definidos.

Publicidade

O teclado usará a IA para detectar digitação de qualquer posição ou ângulo e que não precisará de calibração. Os responsáveis pelo projeto afirmam que a tecnologia consegue  alcançar 95,84% de precisão de digitação com ele, se comparado a um teclado virtual convencional.

“Teclados digitais contemporâneos possuem algumas limitações. Os atuais softwares de teclado danificam a usabilidade de dispositivos móveis de várias maneiras além da mobilidade”, escreveram os autores do estudo, que apontam que a falta de feedback tátil geralmente aumenta a taxa de erros de digitação….”.

Como essa tecnologia foi criada/pensada?

Para criar o “teclado invisível”, os cientistas inicialmente compilaram um conjunto de dados. Esses dados foram coletados de 43 participantes que usam regularmente teclados QWERTY físicos e aplicativos de teclados. Eles tinham que digitar frases em uma tela sensível ao toque, que não exibia nenhuma letra ou número, apenas a tecla DELETE e ENTER, seguindo as instruções transmitidas por uma tela separada, situada acima do display sensível ao toque. À medida que digitavam, a segunda tela destacava cada caractere no momento da detecção, garantindo o mapeamento entre os pontos de contato, todos interconectados. E a qualquer momento, os usuários poderiam excluir os pontos de contato coletados para a frase atual caso cometessem um erro.

“… Os teclados virtuais atuais impedem que os dispositivos móveis apresentem conteúdo suficiente porque ocupam uma parte relativamente grande nos displays de celulares”

Os participantes escreviam uma média de 15 frases como “aquecimento”, depois eles digitavam 150 a 160 sentenças de forma aleatória, além de 20 conjuntos de textos do Newsgroup, uma espécie de fórum online. Ao final, cada participante levou cerca de 50 minutos para escrever as sentenças e, no total, foram geradas cerca de 7.200 frases e mais de 196 mil caracteres digitados.

Depois de normalizar as escalas os pesquisadores detectaram que embora cada participante digitasse de maneiras ligeiramente diferentes, os modelos do corpo de digitação se assemelhavam a um layout de teclado físico, o que a equipe alega ser uma indicação de que os usuários podem digitar de forma confiável em telas touchscreen mesmo sem orientação – leia-se “invisíveis”.

 

 

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − 4 =

%d blogueiros gostam disto: