Connect with us

Informática

Os males que a modernidade tecnológica esta trazendo para a sociedade

A tecnologia pode não causar diretamente problemas psicológicos, mas cria um extenso processo que fragiliza nossa saúde mental

Publicado

em

A modernidade trouxe muitas evoluções mas também trouxe muitos transtornos psicológicos nos dias de hoje, principalmente para as novas gerações. Mas a depressão e ansiedade estão acontecendo mais por conta da tecnologia?

Publicidade

O aspecto mais básico da tecnologia e a psicologia humana é como ela modifica nossa maneira de viver. O sistema capitalista incentivou por centenas de anos o desenvolvimento de novas tecnologias com o objetivo de aprimoramento de produtividade e mais dinâmica entre as relações comerciais. Cada vez o ser humano precisa de mais para viver, resultando em mais trabalho, mais estudo, menos tempo livre e consequentemente na fragilização da saúde mental. O ritmo de vida em 2019 é um compilado de preocupações constantes, cobranças externas e internas enquanto se é bombardeado por informação em massa e relações humanas superficiais aos montes. Dentro desse fator, há três características que afetam nosso psicológico profundamente:

 

A comparação e competitividade

As redes sociais possibilitaram a facilidade de comunicação e de relacionamento entre pessoas, o que é extremamente positivo. Entretanto surgem inúmeras redes sociais, cada uma com seu propósito e com o fator comum de incentivar a exposição pessoal. Por si só, se expor, mostrar sua vida na internet não é prejudicial necessariamente, o que torna o compartilhamento de nossas vidas prejudicial para nossas mentes é justamente a superficialidade que assim geralmente o fazemos.

A regra social é compartilhar com todos o que há de bom, suas viagens, comidas gostosas, celebrar o início de um relacionamento, trazer a criação de personagens alternativos a nós mesmos, nossos alter-egos digitais que não possuem problemas.

Assim, fugimos da realidade complexa e repleta de coisas negativas para nos concentrar em criar e consumir conteúdo de contos de fadas. Porém, não são nossas versões digitais que vivem nossa vida, e tampouco que lidam com o que há de negativo. Mostramos o que há de bom, mas é inevitável olhar a grama do vizinho que sempre é mais verde, aquele amigo que começou a namorar enquanto você está solteiro, etc.

A comparação que fazemos não é por culpa nossa, é simplesmente automática, e isso sim fere nossa autoestima e nossa saúde mental.

 

Sempre online

O adulto e jovem da atualidade nunca está longe do smarpthone, estamos sempre conectados. Cuidamos de trabalho, família, estudos e tantas outras coisas através da internet, que temos um sério problema em separar tudo.

É muito difícil não lidar com problemas domésticos e pessoais no ambiente de trabalho. É muito difícil ter um descanso de verdade porque somos cobrados de estar sempre à disposição através de celulares, redes sociais e internet. Cobranças profissionais, familiares, de amigos e inclusive de nós mesmos.

Toda essa conectividade afeta profundamente nosso estresse e nossa capacidade de lidar com a espera. Somos ansiosos assim que acordamos, porque estamos atrasados e porque estamos no trânsito. Ansiosos durante o dia com inúmeras coisas a fazer e pouco tempo para tudo. Ansiosos quando deitamos pensando em tudo que ainda temos pendente, porque é já cultural ser incapaz de separar nosso tempo, de se dedicar a uma coisa por vez.

 

A solidão em meio a relações humanas superficiais

Hoje temos X pessoas em nossas redes sociais, muitas vezes são do trabalho, academia, faculdade, cursos, famílias, amigos de infância, etc. Porém esta relação numerosa é cada vez mais superficial, chegando a ser bana.

Queremos sempre aumentar nosso número de amizades no Facebook, ter muitas curtidas em fotos no Instagram e quanto mais interações, compartilhamentos e comentários em nossos conteúdos, mais nos sentimos relevantes. O problema é que não criamos vínculos profundos com as pessoas. Ao mesmo tempo que nos sentimos rodeados por amigos e conhecidos no âmbito digital, na vida real temos poucas pessoas para contar. E é privilegiado quem verdadeiramente pode contar com outras pessoas, porque em meio a tantas interações, nos conhecemos muito pouco para poder desabafar, falar de nossos problemas, ajudar e ser ajudado.

 

A tecnologia é a vilã?

A tecnologia não é de maneira alguma nossa inimiga, mas nós precisamos nos educar propriamente para essa era. Educar tanto tecnicamente, quanto (principalmente) emocionalmente para lidar com tantas transformações constantes. É completamente possível se manter mentalmente saudável hoje em dia, só não é fácil.

O mundo não está parado, as redes sociais estão cientes desses problemas, tanto que o Facebook desativou a visibilidade do número de curtidas logo após o Instagram fazê-lo. É um começo e é um sinal de que nossa saúde mental está em pauta.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × dois =

%d blogueiros gostam disto: