Connect with us


Informática

Microsoft suspende atualizações do Windows 10 e versões anteriores devido ao coronavírus

A suspensão das atualizações opcionais impacta o Windows 10 e versões anteriores. Confira o que a Microsoft disse sobre

Publicado a

em

A Microsoft anunciou que esta suspendendo as atualizações opcionais dos sistemas operacionais por conta do coronavírus

O COVID-19 continua a mudar o comportamento das pessoas e até grandes empresas pelo mundo. A Microsoft, por exemplo, avisou que irá interromper as atualizações opcionais do Windows 10 a partir de maio. Demais sistemas como o Windows Server 2008 e o Windows 8 também serão afetados.

 

Usuários ficarão vulneráveis sem as atualizações?

 

A suspensão das atualizações opcionais impacta o Windows 10 e versões anteriores.

A suspensão das atualizações opcionais impacta o Windows 10 e versões anteriores.

 

A Microsoft tranquilizou seus usuários e empresas que utilizam seu sistema operacional. As atualizações vitais de segurança serão mantidas em suas periodicidades normais, sobretudo o Patch Tuesday, o pacote de segurança lançado pela empresa toda segunda terça-feira do mês.

 

“Estamos avaliando a situação da saúde pública e entendemos que isso está impactando nossos clientes. Em resposta a esses desafios, priorizamos nosso foco em atualizações de segurança. A partir de maio de 2020, estamos interrompendo todas as atualizações opcionais não relacionadas à segurança (atualizações C e D) para todas as versões suportadas dos produtos de cliente e servidor Windows (Windows 10, versão 1909, até o Windows Server 2008 SP2)”.

 

Tal qual a pandemia do coronavírus não tem data para amenizar ou acabar, esta interrupção também não tem dia nem hora para retornarem. É bom lembrar, porém, que os pacotes de atualização a que a Microsoft se refere são opcionais e não interferem tanto no funcionamento do sistema, com exceção, claro, em episódios em que elas dão algum tipo de defeito, como o que ocorreu recentemente com o Windows Defender — e que ainda não foi solucionado.

Fonte: TechRadar

Informática

Confirmado! Xiaomi irá lançar o Mi Band 5 ainda este ano

A Mi Band é um dos gadgets da Xiaomi mais bem-sucedidos de sua linha, atualmente na sua 4ª versão. Com muitas especulações sobre a nova geração, a fabricante parceira acaba de desmentir estes boatos.

Publicado a

em

Há algum tempo que se fala da possibilidade da Xiaomi evoluir o seu popular smartband, surgindo o que se espera que seja a Mi Band 5. Esta nova versão virou febre na internet, mas agora surgiu uma informação importante. A Huami confirmou que o seu gadget existe e que ainda este ano será lançada para o mercado.

A Xiaomi tem uma surpresa para breve

Quem conhece o Mi Band sabe que ele não é criado e desenvolvido diretamente pela Xiaomi, mas sim desenvolvida pela Huami, uma das muitas empresas satélite da marca chinesa e que lhes criam alguns dos seus produtos.

Foi justamente a Huami que veio revelar o futuro do Mi Band e o que poderá ter em breve. As mais recentes informações davam conta de um abrandamento dos investimentos da Xiaomi na Huami. A verdade, conforme foi revelada junto com o Mi Band 5, é que esta informação é errada. A Huami reafirmou que a Xiaomi está empenhada na sua parceria e que os investimentos feitos pela empresa não vão abrandar no futuro próximo.

Muitas novidades para a Mi Band 5

Ainda não se sabe ao certo o que a nova pulseira inteligente Mi Band vai trazer de novidade, mas já existem algumas ideias. Vão ser mantidas todas as atuais caraterísticas, mas vão existir novidades. Fala-se da chegada do NFC e do GPS bem como outras melhorias.

A sua apresentação chegou a ser dada como certa num evento recente da Xiaomi, o que não aconteceu. Assim, e olhando ao calendário das apresentações anteriores, a smartband Mi Band 5 deverá chegar perto do final do ano.

 

Mas enquanto não chega, vale a pena comprar a smartband Xiaomi Mi Band 4?

A Mi Band 4 é a pulseira inteligente mais recente da linha de smartbands da Xiaomi. Assim como seus antecessores, o acessório fez muito sucesso entre o público por conta de seu custo-benefício, com funções úteis e um preço que não se compara ao cobrado por smartwatches, por exemplo.

Lançada oficialmente em junho de 2019, a pulseira inteligente chegou ao Brasil no fim do ano, conquistando novamente os adeptos dessa tecnologia. Porém, com a proximidade da revelação de seu sucessor, será que ainda vale a pena comprar uma Mi Band 4? Que benefícios essa smartband ainda pode oferecer aos seus usuários?

Para entendermos se ainda vale a pena comprar ou não a Mi Band 4, é importante avaliar suas funções e seus recursos:

  • Fornecer data e hora (como um relógio convencional)
  • Fornecer dados de previsão do tempo
  • Calcular os passos dados durante o dia
  • Aferir batimentos cardíacos
  • Medir a distância percorrida durante o dia
  • Calcular as calorias gastas durante o dia
  • Alarme, cronômetro e timer
  • Localizador de dispositivo (pode encontrar o celular conectado)
  • Acompanhar as atividades físicas (suporte para caminhada, corrida ao ar livre, corrida na esteira, academia, ciclismo e natação)
  • Exibir as notificações do smartphone
  • Controlar a reprodução de músicas do smartphone
  • Resistência contra água (pode suportar 30 minutos em mergulhos de até 50 metros de profundidade)
  • Pulseira removível e grande variedade de cores para personalização
  • Bateria de 135 mAh (autonomia de 20 dias)

 

Resumindo: A Mi Band 4 com certeza é uma das melhores smartbands atualmente disponíveis no mercado. A grande variedade de recursos aliada ao preço competitivo fazem desse acessório uma adição interessante no dia a dia de qualquer pessoa. É por isso que consideramos que SIM, ainda vale a pena comprar um Mi Band 4 da Xiaomi, mesmo que o seu sucessor já esteja a caminho.

Clique aqui e compre a sua pulseira inteligente Mi Band 4

 

 

Continue Lendo

Games

Como escolher um cartão MicroSD para o Nintendo Switch

O Nintendo Switch suporta cartões MicroSDHC, bem como cartões MicroSDXC. Mas qual é a diferença? Qual é o Melhor? Explicamos para você…

Publicado a

em

Com o Switch, a Nintendo decidiu seguir um caminho clássico de jogos baseados em cartuchos e leitores de cartão Micro SD que não exigem a instalação de nada em um servidor. Se você quiser jogar alguma coisa, tudo o que você precisa fazer é pegar o jogo, colocá-lo e ligar o seu Switch.

Quando precisar escolher um cartão Micro SD para o seu Nintendo Switch, considere os jogos que você jogará, bem como a quantidade de armazenamento a bordo necessário. Mas a dúvida maior é, qual o melhor tipo de cartão de memória para o Nintendo Switch?

Qual tipo de cartão: MicroSDXC ou MicroSDHC

O Nintendo Switch suporta cartões MicroSDHC, bem como cartões MicroSDXC. Qual é a diferença? Limites de armazenamento:

Publicidade

Dependendo dos seus hábitos de jogo, 32 GB de armazenamento adicional via MicroSDHC podem ser suficientes para você, mas para aqueles que planejam usar o eShop, o MicroSDHC provavelmente não é sua melhor escolha.

Quanto espaço de armazenamento você precisa?

Então você decidiu comprar um cartão MicroSDXC para o seu Switch, mas não tem certeza de qual tamanho comprar? É difícil prever, mas aqui estão algumas diretrizes que podem lhe auxiliar:

  • Se você costuma comprar fisicamente versões AAA e comprar apenas títulos da eShop ocasionalmente, um cartão de 64 GB deve funcionar.
  • Para aqueles que baixam jogos de eShop regularmente e ocasionalmente jogos AAA digitalmente, provavelmente é melhor pular para um cartão de 128GB.
  • Se você deseja fazer o download de boa parte dos jogos AAA, considere pelo menos 200 GB.

Até agora, os maiores cartões MicroSDXC disponíveis no varejo são de 1 TB, mas lembre-se de que o Switch suporta cartões MicroSDXC de até 2 TB .

 

 

Classe de velocidade

Além do armazenamento, outro fator incrivelmente importante na escolha do cartão MicroSD certo é a velocidade. As classes de velocidade recebem uma nota – 2, 4, 6 ou 10 – para observar a velocidade mínima de um cartão. Um grau 2 significa uma velocidade de linha de base de 2 MB / s, um 4 significa 4 MB / s e assim por diante. Para o Nintendo Switch, no entanto, você desejará comprar apenas cartões classificados com uma velocidade de classe 10. Como o console lê os jogos armazenados no cartão, um cartão de velocidade classe 10 provavelmente reduzirá os atrasos e lentidão.

Agora, apenas porque um cartão é classificado na classe 10, isso não significa que ele é capaz apenas de ler e gravar dados a 10 MB / s. Cada cartão MicroSD também possui uma velocidade nominal, que registra a taxa máxima de transferência, que geralmente é significativamente superior a 10 MB / s. Como não podemos prever o desempenho dos cartões MicroSD no Switch – e eles podem variar de jogo para jogo – sua preocupação deve ser principalmente a velocidade da classe 10.

Além disso, se você encontrar um cartão MicroSDXC com uma classe de UHS. As notas variam de UHS-1 (10MB / s) a UHS-3, às vezes com 1, 2 ou 3 impresso na frente do cartão em vez de 10. A Nintendo recomenda cartões compatíveis com UHS-1 e que ter uma velocidade de transferência entre 60 e 95 MB / s.

A marca do cartão MicroSD é importante?

Outra consideração vital ao comprar um cartão MicroSD deve ser o fabricante. Como em toda a tecnologia, às vezes você pode economizar dinheiro com marcas menos conhecidas, mas sacrifica a qualidade no processo. Com o armazenamento externo, sejam discos rígidos, unidades flash ou cartões SD, considerações rigorosas sobre testes e garantia são importantes. A mesma lógica se estende aos cartões MicroSD, pois você não deseja que um cartão falhe, especialmente um com um curto período de garantia ou nenhum.

Samsung e SanDisk são os fabricantes de cartões MicroSD mais conhecidos por um motivo. Cada cartão da Samsung e da SanDisk passa por testes rigorosos, e geralmente são à prova de temperatura, à prova d’água, à prova de choque e raios-X. O design à prova de temperatura pode ser o maior ponto positivo para os proprietários de Switch, pois você nunca sabe onde acabará trazendo seu novo híbrido portátil de console.

Além da SanDisk e da Samsung, outra grande marca é a Lexar, que produz cartões MicroSD que recebem críticas favoráveis. Seus cartões passam por testes igualmente completos.

Mais importante, porém, todas as três empresas oferecem garantias longas para cartões MicroSD, o que indica que elas foram criadas para durar. A Samsung oferece garantias de 5 a 10 anos, dependendo do cartão, que cobre defeitos e falhas do fabricante. A SanDisk também possui garantias de cinco a 10 anos em seus cartões, mas algumas vêm com uma garantia vitalícia. A Lexar oferece garantias vitalícias limitadas em quase todos os seus cartões MicroSD.

Você pode economizar dinheiro optando por uma marca diferente, mas sugerimos manter a SanDisk, Samsung e Lexar no seu radar.

Recomendações finais

Desde que você compre um cartão da classe 10 de um fabricante de qualidade com uma capacidade que reflita seus hábitos de compra, é difícil dar errado, mas aqui estão nossas recomendações para cada capacidade:

É difícil encontrar um cartão com preços razoáveis ​​acima de 200 GB. No entanto, nos últimos meses, opções baratas de cartão de 256GB foram surgindo o tempo todo. Por isso, convém pensar no futuro comprando um cartão maior.

 

Nós nos esforçamos para ajudar nossos leitores a encontrar as melhores ofertas em produtos e serviços de qualidade, e escolhemos o que cobrimos com cuidado e independência. Os preços, detalhes e disponibilidade dos produtos e ofertas deste post podem estar sujeitos a alterações a qualquer momento. Certifique-se de verificar se eles ainda estão em vigor antes de fazer uma compra.

A GADZ TECH somos sinceros com nossos leitores e informamos que podemos ganhar alguma comissão por produtos adquiridos através de nossos links, o que contribui co o trabalho que fazemos para nossos leitores.

Continue Lendo

Informática

Placas de vídeo AMD Radeon com 4K e ray tracing chegam em 2020

A AMD irá fazer o lançamento de suas placas de vídeo com sua nova arquitetura RDNA 2. A novidade foi apelidada de Big Navi, exatamente porque deve ser uma expansão da atual Navi.

Publicado a

em

A AMD irá fazer o lançamento de suas placas de vídeo com sua nova arquitetura RDNA 2. A novidade foi apelidada de Big Navi, exatamente porque deve ser uma expansão da atual Navi. Um evento na última quinta-feira, dia 05 de março 2020, a companhia apresentou algumas características da nova linha de GPUs que chegam até o final de 2020.

 

A novidade foi apelidada de Big Navi, exatamente porque deve ser uma expansão da atual Navi

 

A nova arquitetura foi apresentada como “Navi 2X”, em alusão ao avanço. Segundo a empresa, a placa gráfica será capaz de rodar jogos em 4K com ray tracing baseado em hardware, assim como as da Nvidia. Apesar das novidades, a fabricante ainda não disse quando vai lançar a nova linha no mercado, provavelmente após o lançamento do PlayStation 5 e do Xbox Series X. Os novos consoles vão contar com GPUs com arquitetura RDNA 2.

 

Assim como é uma dúvida sobre a data de lançamento, também não há informações sobre preço para as novas GPUs da AMD.

Fonte: TechRadar

Continue Lendo

Mais lidas +